UE se prepara para nova fase sem Reino Unido

Bruxelas, 31 Jan 2020 (AFP) – Os dirigentes europeus se disseram nesta sexta-feira determinados a virar a página do Brexit para uma nova fase da União Europeia (UE), não isenta de desafios, começando pela negociação da futura relação com seu aliado próximo durante 47 anos.”Quando escurecer à noite, o sol se põe com mais de…

ue-se-prepara-para-nova-fase-sem-reino-unido  - 5c09e705 ue se prepara para nova fase sem reino unido - UE se prepara para nova fase sem Reino Unido

Bruxelas, 31 Jan 2020 (AFP) – Os dirigentes europeus se disseram nesta sexta-feira determinados a virar a página do Brexit para uma nova fase da União Europeia (UE), não isenta de desafios, começando pela negociação da futura relação com seu aliado próximo durante 47 anos.

“Quando escurecer à noite, o sol se põe com mais de 45 anos o Reino Unido pertencendo à UE… No entanto, amanhã também começará um novo dia para a Europa”, disseram os líderes dos três principais instituições europeias.

Desde o referendo de junho de 2016, os europeus aguardavam ansiosamente o fim desse processo de divórcio, após quase três anos de uma negociação que consumiu suas energias e os impediu de focar em seu futuro e curar suas feridas em anos de crise econômica e migração.

Não falta trabalho: estratégia de crescimento “verde”, proteção e defesa de fronteiras, orçamento comum de 2021 a 2027… No entanto, o desafio imediato será tentar alcançar um futuro quadro de relações comerciais com o Reino Unido em 2020, que não promete ser fácil.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que deseja “a melhor parceria possível com o Reino Unido”, mas alertou que o escopo desse relacionamento será menor do que a participação no bloco. “Está claro que sempre haverá uma diferença”, afirmou.

A UE “defenderá seus próprios interesses, mas com amizade e fraternidade”, disse seu colega do Parlamento Europeu, David Sassoli, em entrevista coletiva.

Os europeus têm como limite o respeito pelas regras do jogo (‘igualdade de condições’): trabalho, impostos e meio ambiente.

Os 27 assumem que o Reino Unido se tornará um rival à sua porta, mas querem impedir que seja uma nova Singapura, que prejudica o mercado europeu, diminuindo o nível de padrões que protegem trabalhadores, consumidores e o meio ambiente.

O negociador europeu do Brexit, Michel Barnier, divulgará os planos da UE para o futuro relacionamento na próxima segunda-feira, com o prazo para o final do ano a fim de alcançar esse objetivo diante da recusa de Londres de uma eventual prorrogação do período de transição que termina em 31 de dezembro.

E tudo isso em um contexto em que os Estados Unidos de Donald Trump, que também querem um acordo com seu aliado transatlântico, não facilitam para a UE. A busca de um acordo de pesca entre europeus e britânicos poderá estreitar as negociações comerciais.

– A “força” da união -O principal desafio em nível interno é compensar o rombo de 12 bilhões de euros anuais que a saída Reino Unido deve trazer para o próximo Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027, especialmente pelos 27 países restantes terem opiniões diferentes sobre as prioridades do bloco.

Para tentar aproximar posições, entre aqueles que não querem negligenciar as políticas agrícolas e de convergência tradicionais e aqueles que defendem a priorização de novas políticas comuns, como a de defesa, o chefe do Conselho Europeu, Charles Michel, convocou uma cúpula de líderes em 20 de fevereiro.

O futuro orçamento comunitário deve financiar, entre outros, o Pacto Verde Europeu, a “nova estratégia de crescimento” econômica do bloco, nas palavras de Von der Leyen, que busca, na luta contra as mudanças climáticas, que a UE atinja a neutralidade de carbono para 2050.

“É muito importante demonstrar o que podemos alcançar”, afirmou Michel, em um pedido velado para manter a unidade dos 27 ao encarar o futuro e ouvir os cidadãos. Para isso, pretendem lançar em 2020 uma Conferência sobre o Futuro da a UE.

“Durante todos esses anos, 47 anos, a União Europeia (UE) se tornou uma potência”, lembra o chefe da Comissão que, em um alerta ao Reino Unido, enfatizou que “a força não reside no isolamento esplêndida, mas, sim, na nossa única União “.

tjc/af/cc/ll

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com