Tenente da PM para o Terça Livre: Polícia é vítima de guerra ideológica

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves, da Polícia Militar do Estado de São Paulo, diretor da Associação dos Policiais Militares do Estado de São Paulo (ASPOMIL), 49 anos de polícia, foi o policial do ano na década 70 com ato heroico de bravura, e é articulista de 38 veículos de comunicação no país. O oficial nos explicou…

tenente-da-pm-para-o-terca-livre:-policia-e-vitima-de-guerra-ideologica  - d937ae94 tenente da pm para o terca livre policia e vitima de guerra ideologica - Tenente da PM para o Terça Livre: Polícia é vítima de guerra ideológica

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves, da Polícia Militar do Estado de São Paulo, diretor da Associação dos Policiais Militares do Estado de São Paulo (ASPOMIL), 49 anos de polícia, foi o policial do ano na década 70 com ato heroico de bravura, e é articulista de 38 veículos de comunicação no país.

O oficial nos explicou a dura situação da polícia nas ações de invasão de terras por grupos criminosos, e por quais motivos a grande mídia bate tanto na polícia, agredindo os nossos policiais em quase todas as ações para as quais o governo os destaca, e ainda nos explicou quais são os métodos empregados pela PM em caso de rebelião em presídios, como foi a última, esta semana, liderada pelo Champinha.

Dirceu afirma que a Polícia Militar é hoje vítima de uma guerra ideológica, usam a imagem dela para bater no governo e quem sofre são os cidadãos e os policiais.

No ano de 1972, Dirceu foi considerado herói: num ato de bravura, estando ferido, realizou um salvamento impossível na estação de trem de campinas e por isto foi eleito o policial do ano. Esta história ele nos contou inteira na entrevista que você ouve abaixo.

Confira o que disse este valoroso oficial:

- ban livraria2019 - Tenente da PM para o Terça Livre: Polícia é vítima de guerra ideológica

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com