Só love! Após rejeição nos EUA, Musk começa um caso de amor com a China

0
70
so-love-apos-rejeicao-nos-eua-musk-comeca-um-caso-de-amor-com-a-china

Após um ano para ser esquecido nos EUA, Elon Musk passou alguns dias na China que ficarão na memória.

O chefe da Tesla foi ao país nesta semana para iniciar a construção de uma fábrica perto de Xangai, se encontrar com o premiê e se esbaldar na culinária chinesa em Pequim. O bilionário foi alimentado, festejado e tratado com muito carinho.

Isso é quase tudo o que ele não está tendo nos EUA. Depois do infame tuíte de 7 de agosto no qual ele disse que havia levantado recursos para fechar o capital da Tesla, Musk foi multado em US$ 20 milhões, recebeu ordem para se controlar nas redes sociais e foi obrigado a renunciar à presidência do conselho da fabricante de veículos que fundou. Em meio a desdobramentos frenéticos, Musk chorou falando da pressão da liderança e do uso frequente de pílulas para dormir.

Mas esta semana foi diferente.

O terreno de US$ 5 bi

Primeiro, Musk se divertiu em 7 de janeiro ao celebrar a primeira pá carregada de terra, pelo menos figurativamente, da fábrica de US$ 5 bilhões proposta pela Tesla nos arredores de Xangai. O radiante empreendedor do ramo de carros elétricos estava acompanhado de autoridades do governo local. Em meio à chuva, o vice-prefeito de Xangai disse que Musk e a Tesla podem tirar uma fortuna do terreno lamacento.

‘Eu amo a China’

Dois dias depois, Musk estava conversando com o premiê Li Keqiang em Zhongnanhai, o complexo ao lado da Cidade Proibida, no centro de Pequim, onde a China recebe seus visitantes estrangeiros mais importantes. Os dois se deram tão bem que Li propôs que Musk se tornasse residente permanente.

Eu amo muito a China e estou disposto a vir mais aqui

Musk disse a Li

Então, um green card da China pode estar a caminho, respondeu Li. Sem um fim à vista da guerra comercial EUA-China, Li disse até que tinha esperanças de que Musk pudesse ajudar a estabilizar as relações.

Comida chinesa

Depois, Musk encontrou tempo para comer em um dos mais famosos restaurantes “hot pot” de Pequim, no qual os alimentos são preparados em panelas com água fervente na mesa.