Rodrigo Maia mereceu a tag #MaiaTraidordaPatria e militância pró-Bolsonaro é necessária, diz analista político

0
19
rodrigo-maia-mereceu-a-tag-#maiatraidordapatria-e-militancia-pro-bolsonaro-e-necessaria,-diz-analista-politico

O dia de ontem (19/9) foi uma guerra cibernética na qual a hashtag #MaiaTraidordaPatria permaneceu nos trend topics do Twitter e junto com este tema a semana foi marcada pelo repercussão de um conselho do professor Olavo de Carvalho, publicado em vídeo no canal dele no Youtube, sobre a criação de uma militância para defender o presidente da República, Jair Bolsonaro, dos ataques incessantes.

Para falar sobre estes dois assuntos, convidamos o Paulo Eneas, professor de matemática, jornalista e autor de uma coletânea de ensaios que resultou no livro Geopolítica Contemporânea: Desconstrução de narrativas da esquerda globalista, publicado pela Editora Armada em 2017, além de ser o criador e editor do site Crítica Nacional.

Acerca da hashtag #MaiaTraidordaPatria, Paulo foi enfático: o projeto do Fundo Partidário foi um “autêntico tapa na cara da maioria dos brasileiros, um autêntico retrocesso“, ressaltou que o projeto abre brechas para prática de Caixa 2, e que permite utilização de recursos públicos para custear advogados de políticos, entre outros.

Essa iniciativa, ela tem também um componente político, que é no sentido de querer jogar de novo, no colo do presidente Bolsonaro, uma bomba armada na Câmara dos Deputados.“, disse.

Analisando o tema, o analista afirmou categoricamente que a Advocacia Geral da União (AGU) deve se manifestar antes que a proposta aprovada chegue ao presidente, por “flagrante descumprimento das normas do processo legislativo“, por “vício de conteúdo” e por “vício processual“.

Ele classificou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, como “Anão político” e a hashtag levantada pelos usuários do Twitter como “mais que justa“.

E a militância pró Bolsonaro? Cria ou não?

Sobre questão da semana, a criação ou não de uma militância bolsonarista, Paulo avaliou que a direita venceu as eleições de 2018 com amplo apoio popular, mas sem qualquer organização ao mesmo tempo que uma fervente guerra política se passa debaixo do nosso nariz.

Não há qualquer organização para dar apoio ao governo e muito menos para guerra cultural em “larga escala“, ou seja, não há direita nas universidades ou na grande mídia.

Paulo Eneas endossou o que diz o professor Olavo de Carvalho, afirmando que não se trata de combater apenas ideias, mas as pessoas e os grupos que se organizam para disputar o poder, e ainda afirmou que apenas o campo da esquerda se organiza, ao contrário da direita, que aliás exibe embates duros às vistas de todos.

Em vias de concluir o raciocínio ele afirmou: “Temos que nos organizar para que nossa ação política seja efetiva“, e que a discussão sobre o tema reflete uma “incompreensão da natureza da ação política“.

Confira

- ban livraria2019 - Rodrigo Maia mereceu a tag #MaiaTraidordaPatria e militância pró-Bolsonaro é necessária, diz analista político