Psicopatia e psicopatas brasileiros, especialista fala sobre o problema no Brasil

0
35
psicopatia-e-psicopatas-brasileiros,-especialista-fala-sobre-o-problema-no-brasil

Márcia Rosano, psicologa da linhagem humanista, atua já há 27 anos, que atende gratuitamente o Núcleo de Apoio às Vítimas de Violência (NAVV) em São Paulo, falou ao Terça Livre na tarde de ontem (3/9).

Muito simpática e absolutamente apaixonada pela ciência nos explicou o que é a psicopatia, falou sobre as principais características de psicopatas que partem para o mundo do crime e ainda aprofundou o tema com os seguintes psicopatas:

  • Francisco de Assis Pereira – maníaco do parque, estuprou e matou pelo menos seis mulheres e tentou assassinar outras nove em 1998;
  • Tiago Henrique Gomes da Rocha – serial killer de Goiânia, ao ser preso, confessou ter assassinado 39 pessoas, a maioria mulheres, entre os anos de 2011 e 2014, na cidade de Goiânia, Goiás.
  • Wellington Menezes de Oliveira – massacre de Realengo, entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira e matou 12 estudantes em abril de 2011.

Para a surpresa de todos, alguns autores de crimes brutais não foram considerados psicopatas pela Justiça. Márcia nos explicou por quais motivos não foram classificados desta forma os seguintes casos:

  • Suzane von Richthofen – assassinou seus pais em 31 de outubro de 2002 com a ajuda de seu namorado e seu irmão;
  • Goleiro Bruno – preso em 2010 por participação no sequestro e assassinato de Eliza Samudio;
  • Champinha – Roberto Aparecido Alves Cardoso, caso Liana Friedenbach e Felipe Caffé foi um crime ocorrido na zona rural de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, entre 1 e 5 de novembro de 2003.

E além destes temas, ela ainda alertou para o problema da iniciativa anti-manicomial iniciada nos governos anteriores.

Confira a entrevista completa:

- ban livraria2019 - Psicopatia e psicopatas brasileiros, especialista fala sobre o problema no Brasil