Polícia Militar do MS autua infrator por desmatamento ilegal de 102 hectares

Policiais Militares Ambientais de Coxim, no Mato Grosso do Sul, realizaram fiscalização em uma fazenda (área de espólio) no município na quarta-feira (25/3), no início da tarde e localizaram e aferiram com uso de GPS, o desmatamento ilegal de 101,97 hectares de vegetação nativa, inclusive, parte da degradação em área protegida. O desmatamento verificado por…

policia-militar-do-ms-autua-infrator-por-desmatamento-ilegal-de-102-hectares  - b9a22dbc policia militar do ms autua infrator por desmatamento ilegal de 102 hectares 1024x576 - Polícia Militar do MS autua infrator por desmatamento ilegal de 102 hectares

Policiais Militares Ambientais de Coxim, no Mato Grosso do Sul, realizaram fiscalização em uma fazenda (área de espólio) no município na quarta-feira (25/3), no início da tarde e localizaram e aferiram com uso de GPS, o desmatamento ilegal de 101,97 hectares de vegetação nativa, inclusive, parte da degradação em área protegida. O desmatamento verificado por imagem de satélites ocorrera no ano de 2017, conforme os comparativos nas imagens. 3,97 hectares ocorreram em área protegida de reserva legal da propriedade e 98 hectares em área fora de proteção especial, porém, tudo sem licenciamento ambiental.
A área já estava com plantio de pastagem e a madeira proveniente da vegetação desmatada já havia sido explorada e só tinham sinais das leiras no local. As atividades foram interditadas e o infrator (45), representante do espólio, residente em Sidrolândia, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 118.000,00. Ele também responderá por crime ambiental com pena de um a três anos de detenção, pena agravada devido a área protegida. O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.
Com uso de drone foi realizada toda a caracterização e com GPS a aferição da área para emissão de relatório que irá subsidiar o processo administrativo relativo à multa ambiental, que será julgado pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul). Os documentos também serão encaminhados ao Ministério Público Estadual (MPE), para subsidiar a ação criminal, bem como para a possível impetração de Ação Civil Pública de Reparação de Danos.
Informações: Polícia Militar do Mato Grosso do Sul

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com