Narcotraficante colombiano preso em Fortaleza é ex-guerrilheiro das Farc

0
19
narcotraficante-colombiano-preso-em-fortaleza-e-ex-guerrilheiro-das-farc

A Polícia Federal de Fortaleza prendeu o colombiano Guillermo Amaya Ñungo, de 55 anos, considerado um dos chefes do narcotráfico mais procurados do mundo.


Procurado principalmente pela Colômbia e pelos Estados Unidos, ele é ex-guerrilheiro das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e apontado como chefe de uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas.

‘El Patron’, como é mais conhecido, ainda teria contato com grupos de guerrilha. Ele morava com a família (esposa e duas filhas) no Ceará.  O mandado de prisão para extradição foi decretado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após pedido da justiça norte-americana.

De acordo com as informações do site Diário do Nordeste, o ex-guerrilheiro chegava a uma escola no bairro Messejana para buscar a filha adolescente e foi preso, no dia 17 deste mês.

Com o foragido, foi apreendido um documento de identificação falso, em que constava o nome de José Jesus Rodríguez Hernandez, como ele se apresentava em território cearense.

O chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal, o delegado Samuel Elânio, explicou aos jornalistas que a Superintendência no Ceará  foi informada há apenas uma semana sobre então possível presença de ‘El Patrón’ em Fortaleza.

Ainda segundo a PF, o colombiano entrou a pé no Brasil pelo Município de Pacaraima, que fica na fronteira do Estado de Roraima com a Venezuela, com a identidade falsa.

Em depoimento, ‘El Patrón’ disse que estava em Fortaleza há apenas três meses. Ele residia em uma casa duplex, localizado no bairro Lagoa Redonda, na periferia de Fortaleza.

O ex-guerrilheiro disse em depoimento que fugiu da Venezuela, país em que teria sido sequestrado e extorquido por outros criminosos.

Ele não explicou como mantinha a vida de alto padrão na capital cearense e até alegou que estava com dificuldades financeiras. A investigação identificou que o homem recebia ajuda de outras pessoas no País, principalmente venezuelanos que estão em outros estados.

A PF instaurou um Inquérito Policial por falsa identidade, que irá transcorrer independente da extradição do colombiano.

Não há notícias, segundo a polícia, de crimes cometidos por Guillermo Ñungo no Brasil. O colombiano se criou nas Farc e atuou também em um grupo de guerrilha na Venezuela, onde ganhou notoriedade no tráfico internacional de drogas. Do país sul-americano, ele enviava entorpecentes para cartéis mexicanos e para os Estados Unidos e a Nicarágua.

- ban livraria2019 - Narcotraficante colombiano preso em Fortaleza é ex-guerrilheiro das Farc