Deputado alemão diz que não é impossível uma intervenção militar na Venezuela

0
94
deputado-alemao-diz-que-nao-e-impossivel-uma-intervencao-militar-na-venezuela
- ban apoiase2019 - Deputado alemão diz que não é impossível uma intervenção militar na Venezuela

Peter Weiss (à esq. na foto) é deputado da CDU (União Democrata-cristã), no Parlamento alemão e foi um dos políticos que influenciou o governo de Angela Merkel a reconhecer Juan Guaidó presidente interino da Venezuela. Há tempos que Peter Weiss desenvolve um trabalho de esclarecimento na Europa sobre as calamidades geradas pelo socialismo do século XXI, no país dominado por Maduro e seu grupo. Em Lima, Weiss apresentou seu livro “O êxodo venezuelano: entre o exílio e a emigração”.


“Não se pode dizer que seja impossível uma intervenção militar na Venezuela”, declarou o deputado alemão na entrevista concedida com exclusividade ao PanAm Post. E acrescentou: “Impedir a ajuda humanitária é o maior rebaixamento moral de Maduro”.

Respondendo à pergunta de como avalia a atuação da União Europeia em relação à Venezuela, Weiss disse que “é certo que a União Europeia tem que implementar sanções mais fortes contra Maduro e os seus”.

O deputado alemão acrescentou ainda ao responder ao questionamento sobre a validade ou não das sanções e pressões internacionais: “Com a ação de não deixar entrar a ajuda humanitária e até queimar os caminhões com a ajuda humanitária, Maduro mostrou claramente à Venezuela e ao mundo que é um criminoso”. E agregou: “Esse grupinho que hoje em dia tem o poder para proteger-se a si mesmo vai terminar. É um grupo isolado e no momento em que lhe congelem as contas internacionais já não poderá manter seu estilo de vida, não vai haver nada que possa roubar e haverá um fim. A pergunta é quanto tempo tardará a cair”.

À pergunta final da entrevista, de como fazer para que o regime de Maduro caia e não continuem a morrer venezuelanos, Peter Weiss foi enfático: “Nas últimas décadas, por razões ideológicas, havia governos e grupos políticos que sentiam empatia com o chavismo, mas isso já terminou. Creio que o chavismo já mostrou a sua face brutal de não respeitar os seres humanos. Já não há pessoas no mundo que possam defender esse sonho da revolução. Estou convencido de que também os governos que parecem apoiar Maduro vão deixar de fazê-lo, porque se não ficarão muito mal”.

Talvez o deputado alemão se equivoque quanto à empatia em relação ao chavismo, brutal e assassino. No Brasil, o PT, o PSOL e inúmeras agremiações e figuras da esquerda continuam a defender o chavismo, apesar de seus crimes. E não estão só. Muitas vozes na imprensa parecem torcer para que Maduro e seus asseclas permaneçam no poder.

- ban livraria2019 - Deputado alemão diz que não é impossível uma intervenção militar na Venezuela