Crise política no Peru

0
19
crise-politica-no-peru

O Terça Livre ouviu na tarde desta quarta-feira (2/10) a jornalista venezuelana Sabrina Martin, do Panam Post, sobre a crise política no Peru que envolveu a dissolução do Congresso do país.

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, decidiu dissolver o Congresso na segunda-feira (30/9). No dia seguinte, o país amanheceu literalmente com dois presidentes.

O Congresso peruano votava a nomeação de seis dos sete cargos ao Tribunal Constitucional (TC), a instância de Justiça máxima do país, equivalente ao Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro. Vizcarra então solicitou o chamado “voto de confiança” para indicar um nome à Suprema Corte e foi ignorado. O mandatário avisou que se fosse ignorado uma segunda vez, dissolveria o Congresso, conforme previsto na lei.

A tensão tomou conta do cenário político e os congressistas resolveram tentar o impeachment do presidente, ao mesmo tempo em que ele pedia a dissolução do Congresso e convocava novas eleições em até quatro meses.

O líder do Peru havia indicado Gonzalo Ortiz de Zevallos para a Corte.

Em meio a toda confusão, o Congresso “de repente” aprovou a indicação do presidente para o Tribunal Constitucional, com 87 votos.

Enquanto isso, o mesmo Congresso nomeou a vice-presidente, Mercedes Aráoz, para assumir o cargo de Martín.

No dia seguinte, a mulher renunciou.

Está confuso? A América Latina inteira está.

Para explicar este samba do crioulo doido todo, convidamos Sabrina Martin, do Panam Post, que acompanhou tudo de perto para desfazer o reboliço político.

Confira

- ban livraria2019 - Crise política no Peru