Conselheira alemã sugere que smartphones sejam proibidos para crianças

0
108
conselheira-alema-sugere-que-smartphones-sejam-proibidos-para-criancas

Crianças abaixo de 14 anos de idade não deveriam usar smartphones. É o que defende uma especialista alemã em psicologia infantil e conselheira do governo da Alemanha, ao alertar para o perigo de expor o público jovem a imagens sexualmente explícitas.


Julia von Weiler lidera a frente alemã do grupo Innocence in Danger, uma organização sem fins lucrativos que fornece educação para o bom uso da internet e trabalha para prevenir o abuso sexual de crianças na rede.

Ela considera a proposta semelhante a outras restrições para jovens quanto a substâncias ilegais. “Assim como protegemos as crianças do álcool ou de outras drogas, devemos protegê-las dos riscos de usar smartphones muito cedo”, afirma, segundo a emissora alemã Deutsche Welle.

A recomendação da especialista faz parte de uma onda crescente de preocupação de pais, defensores da infância e grupos de consumidores acerca do uso de aparelhos digitais e dos seus efeitos na educação, em habilidades sociais e na saúde mental. Empresas de tecnologia também estão na linha de tiro dessa polêmica.

Segundo o Washington Post, a Apple e o Google, cujos softwares operam quase todos os smartphones do globo, lançaram ferramentas para que os pais controlem o tempo de uso dos dispositivos pelas crianças. As regras que executivos de tecnologia aplicam para seus filhos também se tornaram tema de debate público, sugerindo que eles estão mais conscientes dos riscos dos seus produtos.

Impressões de outros estudiosos

Outros especialistas em abuso infantil alertam contra a espécie de proibição proposta por von Weiler. Johannes-Wilhelm Rörig, comissário independente da Alemanha para temas relacionados a abuso sexual infantil, definiu a recomendação como uma tentativa de “tapar o sol com a peneira”, segundo a Deutsche Welle.

“Uma lei que restringe a idade para o uso de smartphones possivelmente seria uma solução rápida e aparentemente simples”, relata Rörig. Ele acrescenta, entretanto, que tal proibição não resolveria o problema fundamental da falta de proteção na internet, que atinge a todos. Enquanto isso, outros governos e pesquisadores se concentram em diferentes aspectos potencialmente danosos do uso de telefones, incluindo desenvolvimento comportamental e educação.

A proposta de von Weiler vai na mesma linha de uma lei francesa recente, que impede que estudantes levem seus tablets e smartphones para a escola — ou, pelo menos, solicita que os mantenham desligados durante as aulas. Autoridades francesas que apoiaram a causa classificam as restrições como um modo de prevenir a formação de vícios nas crianças e de proteger a integridade da sala de aula.

Um estudo recente publicado pela American Psychological Association indica que smartphones e redes sociais alteram os hábitos de leitura de jovens, o que pode influenciar seu pensamento crítico. Adolescentes norte-americanos têm passado mais horas em seus aparelhos diariamente do que lendo revistas ou livros. Uma pesquisa de consumo de mídia nos EUA, realizada em 2016, mostra que apenas 16% dos alunos veteranos de ensino médio leem todos os dias. Nos anos 1970, esse número era de 60%.

Você faz compras

Online

? Não deixe de conferir a extensão do

Olhar Digital

que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons.

Clique aqui

para instalar.