Cientista sueco defende canibalismo para combater aquecimento global

0
16
cientista-sueco-defende-canibalismo-para-combater-aquecimento-global

Por Renato Rabelo

Saturno  - Saturno - Cientista sueco defende canibalismo para combater aquecimento global
Saturno devorando um filho, de Francisco de Goya.

O mais novo método para salvar o mundo foi anunciado no dia 03 de setembro, na TV4, da Suécia1. Enquanto alguns já se alimentam exclusivamente de luz2, ou de plantas, ou mesmo de insetos3 para salvar o mundo (sem se importar se vão condenar a humanidade defendendo os “benefícios” de sua escolha), o cientista sueco Magnus Söderlund chegou a um novo patamar de bizarrice: ele defende o canibalismo para combater o aquecimento global.

Falando sobre a “gastronomia do futuro”, o cientista defendeu para o progresso do nosso cotidiano um hábito que soa mais como um regresso para práticas desesperadas neanderthais4 ou mesmo animais5. E ele não se importa em parecer advogar pelos interesses de zumbis quando parte para o ataque: “o principal obstáculo para esta proposta é o tabu sobre o consumo de restos humanos”. Ele continua dizendo que a maior parte das pessoas é “bem conservadora” quando o assunto é consumir comida que eles não estão acostumados, como carne humana6.

Várias perguntas foram feitas na matéria para induzir o telespectador a pensar mais sobre o assunto. “Os humanos são egoístas demais para conseguir viver de forma sustentável? O canibalismo é a solução para a sustentabilidade alimentícia do futuro? A Geração Z tem respostas para os nossos desafios alimentares? Os consumidores podem ser levados a fazer a escolha certa?”. E Söderlund responde: “Eu fico meio hesitante. Mas eu tenho que confessar (…) [que] eu estaria aberto a pelo menos experimentar7. Falando assim, tenho certeza que os vendedores de “coxinha humana” de Garanhuns8 não estariam presos mas sim ricos, se dependessem dele.

Söderlund, no entanto, não é o primeiro cientista a defender a tese. Dois psicólogos disseram no site Newsweek, em 20/08/2019, que o canibalismo é um preconceito que existe por falta de “adaptação ao desconhecido9. Richard Dawkings, o famoso biólogo e defensor do ateísmo, publicou um tweet em 03/08/2018 sugerindo o canibalismo de carne humana criada em laboratório10. No Brasil, a tese de que o nojo sobre o canibalismo foi um mero preconceito para justificar o imperialismo europeu sobre os indígenas já começou a ganhar espaço11. É de cair o queixo mas é verdade. Eu coloquei várias referências e leituras adicionais nas fontes para o leitor checar. A mania de culpar a pecuária pelo suposto aquecimento global passou de todos os limites do tolerável.

Já que o cientista sueco defende tacitamente que perguntar não machuca, eu também tenho algumas perguntas para quem estiver tão chocado quanto eu. Será que tem alguém muito interessado em minar a economia vinda da nossa pecuária? Será que tem alguém muito interessado em diminuir as capacidades musculares de nossa gente, limitando o nosso acesso à proteína? Seria o aquecimento global uma fachada para uma agenda que visa a nossa fraqueza? Seria o aquecimento global um consenso científico tão forte que justificasse até mesmo a violação de cadáveres? Será que os defensores do canibalismo entregariam os seus próprios membros em defesa da causa?

Por enquanto, não podemos responder a nenhuma destas questões. Mas que o país inteiro comece a parar de especular e comece a procurar os nomes dos reais interessados nesta loucura para nos ajudar a esclarecer este caso de uma maneira verdadeiramente científica. Num futuro não muito distante, poderemos ser obrigados a viver de mascar pessoas, insetos, ou mesmo de fazer a “dieta da luz” por força de lei, já que esta propaganda se encaixa perfeitamente na descrição da tática do uso de “poder suave”12, por motivos que ainda desconhecemos.

Infelizmente para nós, a Era da pseudociência e do ceticismo seletivo ainda está longe de acabar. “Dicentes enim se esse sapientes stulti facti sunt“…

Fontes

[1] Vídeo original da entrevista (em sueco): https://www.tv4.se/efter-fem/klipp/forskaren-undersöker-möjligheten-att-äta-människokött-finns-många-tabun-12496854.

[2] Matéria sobre pessoas que supostamente “vivem de luz”: https://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/comportamento/viver-de-luz-como-e-sobreviver-apenas-de-oxigenio-e-luz-solar/.

[3] “Para combater aquecimento global, Brasil estuda incluir insetos na dieta do povo”: https://super.abril.com.br/blog/planeta/para-combater-aquecimento-global-brasil-estuda-incluir-insetos-na-dieta-do-povo/.

 [4] Artigo sobre como Neanderthais praticavam canibalismo supostamente por causa do aquecimento global (em inglês):   https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0305440318304680?.

[5] Matéria sobre o canibalismo entre ursos polares supostamente causado pelo aquecimento global: https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/flagrante-de-canibalismo-de-ursos-polares-alerta-sobre-aquecimento-3418035.

[6] Matéria com trechos de sua fala (em inglês): https://voiceofeurope.com/2019/09/eating-human-flesh-could-save-the-planet-swedish-university-professor-says/.  Outra matéria, ainda mais detalhada, pode ser encontrada aqui: https://www.standard.co.uk/news/world/scientist-suggests-eating-human-meat-to-tackle-climate-change-a4230561.html.

[7] Perguntas da matéria sobre canibalismo (em inglês): https://www.washingtontimes.com/news/2019/sep/6/cannibalism-whacked-scientist-says-eating-humans-c/.

[8] Matéria sobre os cozinheiros de salgados humanos: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2012/04/em-pe-suspeitos-de-mortes-vendiam-salgados-de-carne-humana-diz-policia.html.

[9] Matéria da Newsweek dos psicólogos em defesa do canibalismo: https://www.newsweek.com/cannibalism-animal-kingdom-ultimate-taboo-humans-1455287.

[10] O biólogo Richard Dawkings defende o canibalismo (em inglês): https://twitter.com/RichardDawkins/status/969939225180364805?ref_src=twsrc^tfw|twcamp^tweetembed|twterm^969939225180364805.

[11] A estranha tese de “preconceito imperialista” do canibalismo no Brasil: https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-canibalismo-antropologia.phtml.

[12] Ver o livro “Poder Suave”, do Franthiesco Ballerini.


BIO

Renato Rabelo, 27, é pesquisador independente de inteligência militar, tradutor e aluno do Curso Online de Filosofia de Olavo de Carvalho.

Facebook: IniciativaRenatoRabelo

Youtube: Renato Rabelo

- ban livraria2019 - Cientista sueco defende canibalismo para combater aquecimento global