CCJ do Senado espera ler parecer da Previdência no próximo dia 28

0
18
ccj-do-senado-espera-ler-parecer-da-previdencia-no-proximo-dia-28

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet (MDB), informou hoje que o parecer sobre a reforma da Previdência, já aprovada em dois turnos na Câmara, deve ser lido no próximo dia 28.


Tebet entregou o cronograma da votação da reforma durante a reunião de líderes no Senado. Além da data para leitura do parecer, o calendário reserva quatro dias para audiências públicas para debater a proposta.

Assim como o relator da nova Previdência, senador Tasso Jereissati (PSDB), Tebet vem afirmando que o governo pode ajudar com a tramitação “ficando calado”.

Em entrevista à GloboNews, a senadora foi questionada sobre como o presidente Jair Bolsonaro (PSL) poderia ajudar ou atrapalhar a votação da proposta.

Ela riu e respondeu: “(…) O presidente pode ajudar ficando calado. Eu acho que ele pode ajudar não sendo adversário do próprio governo, deixando a equipe técnica, que é competente, o Ministério da Fazenda, o Ministério da Economia, junto com os outros ministros, fazer aquilo que eles sabem fazer bem”, afirmou.

“O Congresso Nacional sabe da responsabilidade que tem, mas toda vez que ele, gratuitamente, ofende a classe política, joga as redes sociais contra o Congresso Nacional, desviando, inclusive, o foco daquilo que realmente importa, que é a população brasileira, ele acaba atrapalhando”, disse Tebet.

Ontem, Jereissati adotou o mesmo tom em conversa com a Folha de S. Paulo. “Acho que a postura que ele [Bolsonaro] deve ter é quanto mais calado, melhor, que aí as coisas fluem com mais tranquilidade, sem criar nenhum ponto de atrito. Aquelas declarações, algumas iniciativas, ele pode suspender, por enquanto, para não contaminar o ambiente.”

Governo espera votação em outubro

Depois de participar de reuniões durante o dia com o ministro Paulo Guedes, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, afirmou que o governo espera que o texto da reforma seja votado no Senado entre 8 e 10 de outubro. “São 60 dias [de tramitação], se eu não me engano”, comentou.

Enquanto Marinho deixava o ministério, Guedes participava de uma reunião com os senadores Simone Tebet e Tasso Jereissati, relator da PEC. A conversa é justamente sobre o calendário da tramitação do projeto no Parlamento.